VOZES & DOSES

VOZES & DOSES
Olá graça e paz! O Vozes & Doses é um blog sem fins lucrativos que visa o aperfeiçoamento e edificação dos seus leitores e seguidores. O intuito primário deste site é apregoar e ministrar o evangelho ensinado por Cristo Jesus de forma simples e séria. O Vozes & Doses serve também como ferramenta de ajuda homilética e hermenêutica para pastores e professores. Sendo assim seja muito bem vindo e desfrute ao máximo das mensagens e devocionais aqui contidos. Grande abraço e que Deus te abençoe ricamente. Wellington R Costa (Editor do Vozes & Doses)

terça-feira, 9 de julho de 2013

SÉRIE EFÉSIOS

SAUDAÇÕES AOS SANTOS E FIEIS EM CRISTO JESUS
Texto: Efésios 1:1,2 
Quando lemos uma carta ou recebemos um e-mail ou uma mensagem no celular a primeira coisa que buscamos saber é: Quem é o remetente? Quando recebemos algum bipe ou algum sinal de mensagem, ficamos logo curiosos em querer saber. Quem esta nos enviando a mensagem? Se esta é interessante ou não?
Às vezes quando lemos um livro apesar de sabermos quem é o autor e por mais que o assunto ou a introdução sejam interessantes na maioria das vezes tentamos pular o prefacio e os mais ousados pulam até a introdução indo direto para o primeiro capitulo. Evitamos as preliminares e nos adentramos na leitura correndo assim alguns riscos.
Muitos são assim com a sua leitura bíblica, pulam as genealogias, aquilo que acham que já leram no capitulo anterior e assim por diante. Gostaria de compartilhar com você hoje o valor e a riqueza que podemos encontrar quando nos adentramos no inicio de uma literatura. No nosso caso aqui e agora a Palavra de Deus. Sendo mais especifico a carta de Paulo aos Efésios. Um grande pregador e amigo pastor Rinaldo Texidor dizia que: Quando for  ler a Palavra, procure a mensagem que está por trás da letra.
Vejamos então como o autor de Efésios inicia sua carta e quão importantes são suas primeiras palavras. Ele inicia dizendo:
I- PAULO, APÓSTOLO DE JESUS CRISTO.
Sabemos que Paulo foi um exímio perseguidor da igreja em Atos 9:1,2 temos o registro de seu desejo impetuoso de prender homens e mulheres que professassem sua fé em Cristo. Ele respirava ameaças e mortes contra os discípulos do SENHOR, dirigiu-se ao sumo sacerdote.  E pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.  Sabemos também que Paulo no seu intuito de perseguição acaba tendo um encontro pessoal com o Senhor Jesus no caminho de Damasco (Atos 9:3,4). Como ele mesmo nos diz em Gálatas 1:11,16, o Senhor Jesus apareceu a ele diretamente, ele não conhecia o evangelho por debatê-lo com outros apóstolos, mas por recebê-lo diretamente de Jesus Cristo! Note que ele não oferece outras credenciais, não se refere à sua formação aos pés de Gamaliel, nem a sua privilegiada origem hebréia (veja Atos 22:3 e Filipenses 3:4-6). [1] Paulo inicia a sua carta se apresentando como um apóstolo de Cristo. Como alguém que pertence ao Senhor. Um mensageiro e servo de Jesus. Servir a Deus é uma honra e um privilégio único que todo ser humano pode experimentar. A vida e a trajetória de Paulo também nos revelam que: I- RELIGIÃO DESPROVIDA DO AMOR DE CRISTO GERA MORTE AO INVÉS DE VIDA. Nos revelam também: II- QUAL É O TIPO DE AR QUE TÊMOS RESPIRADO e finalmente: TODO AQUELE QUE SE ENCONTRA GENUINAMENTE COM CRISTO NÃO SOMENTE É CONFRONTADO MAS É TOTALMENTE TRANSFORMADO.
Mas o que vem a ser um apóstolo de Jesus Cristo? A palavra apóstolo ἀπόστολος (apostolos) significa: aquele que é enviado em uma missão, um mensageiro ou embaixador. Apóstolo é aquele que vai e lança os fundamentos deixados por Jesus (1 Coríntios 3:10,11). Este termo aparece em primeiro lugar na lista dos cinco ministérios ou funções da igreja registrado em Efésios 4:11 apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres. A intenção de Deus com relação a estes chamados específicos é o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo. (Efésios 4:12,13) Aqui encontramos a resposta pela qual nos tornamos e somos chamados para sermos igreja!
Mas o que fazia de Paulo um apostolo? O que fazia de Paulo um apostolo de Jesus Cristo era o fato dele ter sido chamado pelo o próprio Senhor para cumprir o seu chamado e missão. Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo. Porque já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como sobremaneira perseguia a igreja de Deus e a assolava. E na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições de meus pais. Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, Revelar seu Filho em mim, para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue, (Gálatas 1:11,16). Sabemos que Jesus escolheu 12 apóstolos. Em Mateus 10:2,4  temos o seguinte registro: Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: Pedro, André, Tiago, João, Filipe, Bartolomeu, Tomé, Mateus, Tiago, Tadeu, Simão e Judas Iscariotes, aquele que o traiu.
Quando Judas enforcou-se (Mateus 27:5; Atos 1:18) fora então substituído por Matias (Atos 1:22,26) Tanto Paulo quanto os dozes citados acima se tornaram apóstolos de Cristo por terem sido chamados e escolhidos diretamente por Ele. Mas será que além destes apóstolos existiram outros? Dentre os apóstolos de Cristo Paulo é o ultimo. Porém no Novo Testamento o titulo de apóstolo é atribuído a outras pessoas que não faziam parte do ciclo intimo dos doze. Vejamos alguns: Barnabé: (Atos 14:14)  Silas e Timóteo: (1 Tessalonicenses 2:6) E provavelmente Andrônico e Júnias: (Romanos 16:7). Outro fato interessante apresentado por Paulo no inicio de sua epistola é que ele fora chamado apostolo:
II- PELA VONTADE DE DEUS
1 Coríntios 15:9,10 Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. 10 Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo.
Paulo deixa claro que fora vocacionado e chamado por Deus, para este ministério. Não foi por sua própria vontade, não foi à igreja que o chamou, muito menos uma alto declaração. Ele deixa claro que o seu chamado foi segundo a soberania de Deus. Ele expõe isso muito explicitamente na Epístola aos Gálatas, onde diz: “... quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou”. Agora que sabemos sobre este remetente podemos partir para o destinatário. Paulo endereça esta maravilhosa carta:
III- AOS SANTOS QUE ESTÃO EM ÉFESO, E FIÉIS EM CRISTO JESUS
Como em todos os escritos de Paulo “aos Santos” (ἅγιος, hagios): Traz um sentido de que todos aqueles que fazem parte do corpo de Cristo que é a igreja são santos. Santos aqui não representa um titulo meramente religioso, mas fala de pessoas que foram separadas e consagradas para Deus. O que nos torna Santos é o fato de estarmos ligados, firmados e fundamentados em Deus através de Cristo Jesus, pelo o poder da doce presença do seu Espírito Santo habitando em nós. (Mateus 7:6; Lucas 2:23; Atos 3:21; 9,13; Romanos 11:16; Efésios 3:5; 1 Pedro 1:16; 2:5; 2:9; 1 João 3:1,2). Sendo assim nos tornamos santos através da salvação que recebemos de Deus. Paulo também usa o adjetivo fiel que no grego é (πιστός, pistos) que significa: confiável”, e “digno de confiança”. Está palavra é aplicada a todo aquele que nasceu de novo, ou que se converteu a fé cristã. Paulo admoesta Timóteo a ser o exemplo dos fieis (1 Timóteo 4:12) Sendo assim esta maravilhosa carta vai além dos seus remetentes originais chegando a nós e nos revelando como vivermos como servos de Deus e igreja gloriosa. Paulo continua sua escrita dizendo:
IV- A VÓS GRAÇA, E PAZ DA PARTE DE DEUS NOSSO PAI E DO SENHOR JESUS CRISTO!
Mas o que vem a ser graça? Graça é algo vindo da parte de Deus. Sendo assim é dádiva divina. A palavra graça na Bíblia apresenta diferentes significados, em um sentido mais simplificado graça representa a salvação, redenção e justificação que recebemos de Deus sem nenhum merecimento através do nosso arrependimento. Neste caso fomos agraciados pela misericórdia de Deus através de Jesus sendo preservados de uma grande dívida que nunca poderíamos amortizar. O termo grego usado por Paulo neste versículo e freqüentemente usado no Novo Testamento para definir “graça” é: (Χάρις, charis) que é o equivalente a palavra hebraica (חסד, chêsêd) que se encontra em Lamentações 3:22. que diz: “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim;” O novo dicionário Bíblico nos da à seguinte definição: “Graça é tradução preferível a misericórdia porque inclui a ideia do poder divino que equipa o homem a viver uma vida moral.” [2]   Neste caso graça é muito mais do que a simples definição “favor imerecido.” Na verdade o conceito de graça vai muito, além disto. O escritor Arthur W. Pink registrando o comentário de um amigo sobre graça disse: “que graça divina é bem mais do que favor não-merecido. Dar comida a um mendigo que bate a porta é um favor não merecido, mas está longe de ser graça. Suponha-se, porém, que eu alimentasse esse mendigo faminto depois de ter sido assaltado por ele, isto seria graça. A graça, por conseguinte, é um favor demonstrado quando na realidade, há demérito da parte de alguém que recebe.” [3]
Quanto a Paz mencionada por Paulo não é um sentimento que se baseia somente nos momentos de refrigério, tranquilidade e vitórias. Mas vai além até mesmo das adversidades e circunstâncias difíceis, aonde ela parece em si mesma está distante. A paz provém de Deus e é só nEle que podemos encontrá-la  genuinamente.
Concluindo
Nesta primeira mensagem tivemos a oportunidade de entender um pouco sobre a vida de Paulo, o significado do seu apostolado e também sobre a nossa posição em Deus através de Cristo Jesus. Em Cristo temos o Espirito Santo habitando em nós o que nos torna Santos e separados para Deus. Em outras palavras somos Santos em luta constante com o pecado. É através desta comunhão intima com Deus que encontramos graça e paz genuína.


[1] Ary Veloso, Estudo de Efésios.
[2] J. D. Douglas, O Novo Dicionário da Bíblia, Volume I (São Paulo: Edições Vida Nova, 1984) 682
[3] A. W. Pink, Deus é Soberano (São José dos Campos, SP: Editora Fiel, 1997) 26

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Wellington & Silvia Costa

Wellington & Silvia Costa

Total de visualizações de página