VOZES & DOSES

VOZES & DOSES
Olá graça e paz! O Vozes & Doses é um blog sem fins lucrativos que visa o aperfeiçoamento e edificação dos seus leitores e seguidores. O intuito primário deste site é apregoar e ministrar o evangelho ensinado por Cristo Jesus de forma simples e séria. O Vozes & Doses serve também como ferramenta de ajuda homilética e hermenêutica para pastores e professores. Sendo assim seja muito bem vindo e desfrute ao máximo das mensagens e devocionais aqui contidos. Grande abraço e que Deus te abençoe ricamente. Wellington R Costa (Editor do Vozes & Doses)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

AMY WINEHOUSE: PERDENDO O SENTIDO DA VIDA EM MEIO A UMA VIDA PERDIDA


A cantora Amy Winehouse (14/9/1983-23/7/2011) com a sua voz aveludada e com as suas musicas versáteis e bem arranjadas conquistou o publico no mundo inteiro. Milhares de fans, milhares de pounds e dólares, milhares de pessoas a sua procura pelas as ruas de Candem e claro, milhares que sonhavam com o seu talento avassalador. Amy com toda a certeza vivenciou na integra a famosa frase que dizia: sex, drugs and rock & roll. Ela entrou para o famoso rol ou maldito rol dos mortos aos 27 anos (The Forever 27 Club). Que dentre eles estão o guitarrista Jimi Hendrix, a cantora Janis Joplin, o vocalista do The Doors, Jim Morrison, Kurt Cobain, ícone do movimento grunge e líder do Nirvana, e Brian Jones, um dos fundadores da banda Rolling Stones, que são apenas alguns dos artistas que fazem parte da lista.

Todas as vezes que passei por Candem tinha em minha memória esta garota. Sempre dizia por aqui em algum lugar mora a Amy! É triste e lamentável ter está fotografia em minha memória como algo nostálgico, pois a Amy não está mais em Candem! Ela se foi aos 27 anos como muitos se vão. As histórias não são diferentes. Muitos se acabam no frio da sala, do quarto, nos becos, nos morros às vezes com 27, com 18, 15 enfim. Muitos são ricos outros muito pobres, mas neste mundo da Amy todos são iguais e quase todos se vão de formas bem semelhante sejam eles famosos ou anônimos solitários. Alguns em sacos pretos, vermelhos outros em caixas frias sem muita diferença, pois o lugar não importa muito neste momento. No mundo da Amy a vida é algo utópico, pois viver em escravidão sempre foi o dilema da humanidade.

Talvez muitos já soubessem do futuro da Amy, pois sua própria mãe dilacerada por dentro já havia dado de certa forma o veredito mais difícil que uma mãe pode dar a respeito de um filho. “A morte para a Amy é apenas uma questão de tempo!”

A verdade é que viver é bom e de fato não existe nada melhor do que saber viver! Dar sentido a vida é algo que vale a pena. Muitos perderam o sentido da vida por viver uma vida perdida sem sentido nem valores. O ter e o não ter não fazem muita diferença, pois o escravo nem sempre desfruta do que tem, pois o próprio dono lhe priva dos direitos.

Em meio ao desabafo só me resta uma coisa a dizer: É lamentável! A Amy não será a primeira nem a ultima a entrar para o rol dos escravos. Isto entristece o meu coração e sei que entristece o coração de Deus. Desculpe-me dizer isto amigos religiosos legalistas. Que Deus use a religião pura, santa e imaculada para tirar das trevas as Amys que ainda estão vivas que clamam por vida.

Concluindo

A religião não tem nada a ver com Amy Janis Jimmy Jim ou Kurt! Por isto para mim não ha motivos para questionar o ópio do povo no seu sentido vicioso, pragmático, simplista e legalista. Deus está triste com tudo isto, pois Ele é o doador da vida. Amy como muitos outros morrem por não valorizarem a vida genuína em sua essência e excelência. Viva la vida em sua plenitude! Diga não a escravidão das drogas. Seja qual for à droga que você usa...

Por: Pastor Wellington Rodrigues Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Wellington & Silvia Costa

Wellington & Silvia Costa

Total de visualizações de página