VOZES & DOSES

VOZES & DOSES
Olá graça e paz! O Vozes & Doses é um blog sem fins lucrativos que visa o aperfeiçoamento e edificação dos seus leitores e seguidores. O intuito primário deste site é apregoar e ministrar o evangelho ensinado por Cristo Jesus de forma simples e séria. O Vozes & Doses serve também como ferramenta de ajuda homilética e hermenêutica para pastores e professores. Sendo assim seja muito bem vindo e desfrute ao máximo das mensagens e devocionais aqui contidos. Grande abraço e que Deus te abençoe ricamente. Wellington R Costa (Editor do Vozes & Doses)

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

07) LAODICÉIA: A IMPORTANCIA DO RETORNO A SANTIDADE

 
SÉRIE: AS SETE IGREJAS DO APOCALIPSE
Texto: Apocalipse 3:14,22
Laodicéia era uma cidade da província Romana da Ásia Menor. Ela foi fundada em 250 a.C. por Antioco II da Siria no qual atribuiu à cidade o nome da sua esposa “Laodice”, antes tinha o nome de “Theopolis” (cidade de Zeus). A cidade ficava no meio das grandes rotas comerciais do oriente, e com isso enriqueceu muito. Laodicéia era famosa por 3 atividades essenciais: a) confecção de roupas de lã negra, b) fortíssimo centro industrial e bancário onde circulava grande quantia de ouro e c) por uma escola de medicina que fabricava dois unguentos quase milagrosos para os ouvidos e os olhos. O pó frígio era usado para fabricar um raro colírio que era o remédio mais importante produzido na cidade. Em 62 d.C. a cidade de Laodicéia foi totalmente arrasada por um terremoto, e logo foi financiada e reconstruída pelos esforços do seu próprio povo, rejeitando, orgulhosamente a qualquer ajuda de Roma. Paulo não chegou a visitar esta cidade antes de sua primeira prisão (Cl.2:1); é provável que a igreja tenha sido fundada por Epafras, de Colossos (Cl.1:7, 4:12); Paulo conhecia a igreja, porque de Roma escreveu uma carta aos Laodicenses (Cl.4:16), que infelizmente se perdeu. Vejamos então o que o Senhor Jesus deseja nos falar através da vida desta igreja. O primeiro requisito que Cristo revela a Laodicéia para um retorno a santidade é que:
I-PARA SER SANTO É PRECISO TER O FILHO HABITANDO EM NÓS (v.14)
A igreja de Laodicéia tinha de tudo, mas não tinha vida. O Cristo vivo não fazia mais parte de suas reuniões. Falava-se talvez de tudo menos da cruz. Jesus em sua infinita graça e misericórdia inicia dizendo: a) Isto diz o Amém: Está é uma expressão hebraica que significa: Que assim seja, Eu creio, verdadeiramente. Amém é um termo que expressa a soberania e os atributos de Deus. Ela é formada de três letras do hebraico que sintetiza a frase "Deus, Rei, Fiel", (אָמֵן, El Melech Neeman, EMN), Em outras palavras Laodicéia precisava entender que o Deus que eles professavam com a boca era: Rei e ansiava reinar na vida deles. Cristo se revela também como: b) a testemunha fiel e verdadeira: Fiel mesmo sabendo que eles haviam perdido a fidelidade e verdadeiro, pois somente Ele tem poder para libertar. Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.(João 8:31,32) c) O princípio da criação de Deus: Em face da vida caótica da igreja, Jesus é aquele que é a origem da criação. Como ele deu ordem aos caos do universo, ele pode arrancar a igreja do caos espiritual. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. (João 1:3) O segundo requisito que Cristo revela para um retorno a santidade é:
II- PARA SER SANTO NÃO BASTA IR A IGREJA TEM QUE SER IGREJA (v.15,16) 15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! 16 Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. A igreja de Laodicéia havia se tornado tão inútil, que Jesus estava quase a ponto de vomitá-la da sua boca. A igreja havia se tornado um point de encontro, um clube. Vejamos o contexto histórico ao qual Jesus usa para expressar está verdade espiritual. Laodicéia era um deserto. A água precisava ser importada. Laodicéia estava no meio de duas cidades especializadas no ramo de água. Hierápolis e Colossos. Hierápolis: há poucos quilômetros dali, era um verdadeiro ‘spa’ antigo, com suas fontes de águas quentes, usadas para o tratamento de varias doenças. Do lado oposto estava Colossos: uma pequena cidade cercada de fontes de água mineral fresca. Dessas duas cidades, vinha água para Laodicéia. Através de pequenos canos de barro. O problema é que a água quente que vinha de Hierápolis, chegava morna em Laodicéia, e a água fresca de Colossos, esquentava no calor do sol e chegava também morna. Não tem nada mais repulsivo do que beber agua morna! É exatamente a esse fato que Jesus se refere na sua carta. O que leva uma igreja a se tornar tão repulsiva? O que leva uma igreja a deixar de ser igreja? O irmão e pastor presbiteriano Hernandes Dias Lopes descreveu os sintomas que conduzem uma igreja a viver assim: 1) Quando ela se aparta da verdade. 2) Quando ela se mistura com o mundo. 3) Quando ela não discerne sua decadência espiritual. 4) Quando ela não associa a doutrina com a vida. Finalmente 5) Quando falta-lhe perseverança no caminho da santidade. O crente morno não é morno para tudo: Não é morno para o seu trabalho; divertimento, time de futebol, ídolo musical, internet e paixões mundanas. Leve a sério a mornidão espiritual, pois Deus leva isto muito a serio. Gálatas 6:7,8 Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. Outra verdade a respeito da santidade é que:
III- SANTO É AQUELE QUE OLHA PARA JESUS MAIS DO QUE OLHA PARA AS SUAS SUPOSTAS HABILIDADES (v.17) 17 Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; Laodicéia estava presa naquilo que muitos ficam presos. Auto-suficiência gerada pelo o a) auto-engano: Laodicéia se considerava rica e era pobre. Sardes se considerava viva e estava morta. Esmirna se considerava pobre, mas era rica. Filadélfia tinha pouca força, mas Jesus colocara diante dela uma porta aberta. Muitos no dia do juízo vão estar enganados (Mateus 7:21,23). b) auto-sastifação: A igreja de Laodicéia era morna em seu amor a Cristo, mas amava o dinheiro. O amor ao dinheiro traz uma falsa segurança e uma falsa auto-satisfação. c) A tragédia de não ser o que se projetou ser e ser o que nunca se imaginou ser: Estava orgulhosa do seu ouro, roupas e colírio. Mas era pobre, nua e cega. Mendigos apesar de seus bancos, cegos apesar de seus pós frígios e nus apesar de suas fábricas de tecidos. Outra verdade a respeito da santidade é que:
IV- SANTO É AQUELE QUE SE RENDE AO APELO DE CRISTO (v.18)
Cristo está chamando Laodicéia assim como Ele nos chama todo tempo. a) Ele prefere dar conselhos em vez de ordens: 18 Aconselho-te; b) A suficiência está nEle: que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. c) A preciosa mercadoria que Cristo oferece é melhor: O ouro que Cristo tem é o Reino do céu. A roupa que Cristo oferece são as vestes da justiça e da santidade. O colírio que Cristo tem abre os olhos para o discernimento.
V- SANTO É AQUELE QUE REPREENDIDO POR DEUS RETORNA AO PRIMEIRO AMOR COM ALEGRIA (v.19,20) O Senhor Jesus diz: a) Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; Cristo ama a igreja de Laodiceia e não desiste dela. É por está razão que essas palavra estão registradas aqui. Cristo não tem a intenção de punir a igreja, mas corrigir e disciplinar. Hebreus 12:6 diz: Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho. b) Jesus pede que a igreja se arrependa: sê pois zeloso, e arrepende-te. A piedade superficial nunca salvou ninguém. Não haverá hipócritas no céu. Devemos trocar os anos de mornidão pelos anos de zelo. c) Jesus faz o convite mais lindo: 20 Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. Mediante todo este cuidado com a igreja enferma de Laodicéia só me resta concluir dizendo!
VI- SANTO É AQUELE QUE VENCE AS BATALHAS FIRMADO EM CRISTO (v.21,22) 21 Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quer saber o final da história? Está carta mudou a vida daquela igreja. Laodicéia arrependeu-se e tornou-se uma das mais influentes igrejas da antiguidade. Prova disso é que, cerca de 100 anos depois dessa carta, Sagaris, um dos bispos da igreja de Laodicéia foi torturado e morto por sua fé em Cristo. Laodicéia nos mostra que:
1) Para ser santo é preciso ter o filho habitando em nós;
2) Mais do que ir, devemos ser igreja;
3) Devemos olhar unicamente para Jesus;
4) Nos alimentar dos conselhos e da palavra de Deus;
5) Devemos retornar rapidamente ao primeiro amor sempre que nos afastarmos dele. Termino está série alegremente dizendo: 22 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.[1]


[1] Adaptado do comentário de apocalipse de George Ladd e Hernandes Dias Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Wellington & Silvia Costa

Wellington & Silvia Costa

Total de visualizações de página