VOZES & DOSES

VOZES & DOSES
Olá graça e paz! O Vozes & Doses é um blog sem fins lucrativos que visa o aperfeiçoamento e edificação dos seus leitores e seguidores. O intuito primário deste site é apregoar e ministrar o evangelho ensinado por Cristo Jesus de forma simples e séria. O Vozes & Doses serve também como ferramenta de ajuda homilética e hermenêutica para pastores e professores. Sendo assim seja muito bem vindo e desfrute ao máximo das mensagens e devocionais aqui contidos. Grande abraço e que Deus te abençoe ricamente. Wellington R Costa (Editor do Vozes & Doses)

sábado, 18 de janeiro de 2014

05) SARDES: A IGREJA APATICA QUE PRECISAVA SER REAVIVADA

SÉRIE: AS SETE IGREJAS DO APOCALIPSE
Texto: Apocalipse 3:1,6
A glória de Sardes estava no seu passado. Ela havia sido uma das cidades mais magnificas do mundo. No século VI a.C. Sardes tinha sido a capital do reino de Lídia. Situada no alto de uma colina, amuralhada e fortificada, Sardes sentia-se imbatível. Seus soldados e habitantes pensavam que jamais cairiam nas mãos dos inimigos. De fato a cidade jamais fora derrotada por um confronto direto. Seus habitantes eram orgulhosos, arrogantes, e autoconfiantes. Mas a cidade orgulhosa caiu nas mãos do rei Ciro da Pérsia em 529 a.C, quando este cercou a cidade por 14 dias, e quando seus soldados estavam dormindo, ele penetrou com seus soldados por um buraco na muralha, o único lugar vulnerável, e dominou a cidade. Mais tarde, em 218 a.C, Antíoco Epifânio dominou a cidade da mesma forma. E isso por causa da auto­confiança e falta de vigilância dos seus habitantes. Os membros dessa igreja entenderam claramente o que JESUS estava dizendo, quando afirmou: "Sede vigilantes! ... senão virei como ladrão de noite". A cidade foi reconstruída no período de Alexandre Magno e dedicada à deusa Cibele. Cibele tornou-se uma divindade do ciclo de vida-morte-renascimento. Mas a igreja estava morrendo e só JESUS poderia dar vida aqueles crentes. Quando João escreveu esta carta, Sardes era uma cidade rica, mas totalmente degenerada. Sua glória estava no passado e seus habitantes entregavam-se agora aos encantos de uma vida de luxúria e prazer. A igreja tornou-se como a cidade. Em vez de influenciar, foi influenciada. Vivia com uma profunda apatia espiritual e era como sal sem sabor ou uma candeia escondida. A igreja não era nem perigosa nem desejável para a cidade de Sardes. Mediante todo este histórico Jesus inicia dizendo: ...Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto. (v.1) Jesus claramente declara que:
I-SARDES ESTAVA MORTA E VIVIA DE APARENCIA
Jesus se revela a Sardes conforme a necessidade que ela tinha: Os sete espíritos de Deus; é uma alusão á plenitude do Espirito Santo (Ap. 1:4). E as sete estrelas; Demonstram a preocupação e o cuidado que Cristo possui por suas igrejas.
A igreja de Sardes tinha nome, fama, performance e obras. Mas lhe faltavam vida, integridade e dignidade. O que leva uma igreja a morrer desta forma? O irmão e pastor presbiteriano Hernandes Dias Lopes descreveu os sintomas que conduzem uma igreja a viver como Sardes. 1) A morte de uma igreja acontece quando ela se aparta da verdade. Sempre que uma igreja troca o evangelho da graça por outro evangelho, ela entra por um caminho desastroso. 2) A morte de uma igreja acontece quando ela se mistura com o mundo. A bancada evangélica no Congresso Nacional é conhecida como a mais corrupta da política brasileira. A teologia capenga produz uma vida frouxa e tolerante com o mundanismo. Precisamos voltar aos princípios da Reforma e clamar a Deus por um reavivamento genuíno! 3) A morte de uma igreja acontece quando ela não discerne sua decadência espiritual. A igreja de Sardes olhava-se no espelho e dava nota máxima para si mesma. A igreja vivia de aparências; gozava de grande reputação na cidade. Nenhuma falsa doutrina estava prosperando na comunidade. A maioria dos seus membros ainda não eram convertidos. O diabo não precisou perseguir essa igreja de fora para dentro, ela já estava sendo derrotada pelos seus próprios pecados. O cristão verdadeiro é aquele chora diante de Deus por causa de seus pecados. 4) A morte de uma igreja acontece quando ela não associa a doutrina com a vida. A reputação da igreja era entre as pessoas e não diante de DEUS. Aquela igreja estava se transformando apenas em um clube. Doutrina sem vida produz orgulho e aridez espiritual; vida sem doutrina desemboca em misticismo pagão. Uma igreja viva tem doutrina e vida, ortodoxia e piedade, credo e conduta! 5) A morte de uma igreja acontece quando falta-lhe perseverança no caminho da santidade. A fé exercida pela igreja era apenas nominal. Paulo disse em Efésios 5:14  Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.
II-JESUS TEM O DESEJO DE REAVIVAR OS CORAÇÕES DOS QUE ESTÃO DESANIMADOS E APARENTEMENTE MORTOS
2 Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. Quando Jesus olhou para a igreja em Sardes logo viu as causas de sua enfermidade espiritual. A maioria dos crentes apenas tinham seus nomes no rol da igreja, mas não no Livro da Vida. Havia também muitos crentes doentes, fracos, e em fase terminal. O mundanismo adoece a igreja. O pecado mata os sentimentos mais elevados e petrifica o coração. a) Jesus pede à igreja que seja vigilante: Sardes nunca havia sido atacada de frente, mas por duas vezes a cidade foi atacada e derrotada de surpresa por falta de vigilância. Está advertência de Jesus traz esperança para igreja. Devemos acordar da letargia espiritual. b) Jesus pede que a igreja se consolide; confirma os restantes que estavam para morrer: Se o reavivamento não viesse até o pequeno remanescente seria vitima da morte espiritual. c) Jesus confronta a igreja a uma mudança radical; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. Os crentes viviam em duplicidade com a verdade. Serviam sob as luzes, promoviam seus próprios nomes, buscavam sua própria glória. O profeta Isaias nos revela a tristeza de Deus em ver crentes com está atitude; Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído; (Isaias 29:13) Outra verdade que o Senhor Jesus tem o desejo não só de revelar a Sardes mas a cada um de nós é que:
III- ANTES DE EXPERIMENTARMOS UM REAVIVAMENTO DEVEMOS PRIMEIRAMENTE EXPERIMENTAR UM ARREPENDIMENTO GENUINO
3  Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. Ao meditarmos nos versos 2 e 3 encontramos a receita para um reavivamento. O Senhor Jesus nos revela cinco imperativos riquíssimos para o nosso crescimento e desenvolvimento espiritual. Ele diz: 1) Sê vigilante; 2) Fortaleça ou consolida o que resta; 3) Lembre-se; 4) Obedeça; 5) Arrependa-se. Podemos sintetizar esses imperativos de JESUS, em três aspectos básicos: 1) Uma volta urgente à Palavra de DEUS: Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o. A igreja tinha se apartado da pureza da Palavra. O reavivamento é resultado dessa lembrança dos tempos do primeiro amor e dessa volta à Palavra. 2) Uma volta à vigilância espiritual: Sardes caiu porque não vigiou. A igreja precisa estar vigilante contra as ciladas de Satanás, contra a tentação do pecado. Devemos ter cuidado com a vaidade do mundo. O verso 4 nos revela o terceiro ponto. 3) Uma volta à santidade: 4  Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. O torpor espiritual em Sardes não tinha atingido a todos. Ainda havia algumas pessoas que permaneciam fiéis a CRISTO. A Palavra diz que devemos orar no ESPÍRITO, pregar no ESPÍRITO, adorar no ESPÍRITO, viver no ESPÍRITO e andar no ESPÍRITO. Que sejamos crentes cheios do ESPÍRITO de CRISTO. Uma coisa é possuir o ESPÍRITO, outra é ser possuído por ele. Uma coisa é ser habitado pelo ESPÍRITO, outra é ser cheio do ESPÍRITO. Uma coisa é ter o ESPÍRITO residente, outra é ter o ESPÍRITO governando e presidindo nossa vida. Concluindo VI- JESUS REVELA A IGREJA QUE O REAVIVAMENTO TRAZ CONSIGO GRANDES BENÇÃOS ESPIRITUAIS. 5 O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. 6  Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. 1) Santidade agora, é garantia de glória no futuro. O que vencer será vestido. O vencedor receberia vestes brancas, símbolo de festa, pureza, felicidade e vitória. Sem santidade não há salvação. Sem santificação ninguém verá a DEUS. Sem vida com DEUS aqui, não haverá vida com DEUS no céu. Sem santidade na terra não há glória no céu. 2) Quem não se envergonha de CRISTO agora, terá seu nome proclamado no céu por CRISTO. e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. Quando uma pessoa morre, tiramos o atestado de óbito. Tira o nome do livro dos vivos. Os nomes dos mortos não constam no registro dos vivos. O salvo jamais será tirado do rol do céu. Aqueles que estão mortos espiritualmente e negam a CRISTO nesta vida não têm seus nomes escritos no livro da Vida. 3) Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. A carta à Igreja de Sardes é um aviso de CRISTO para que não nos descuidemos da comunhão com Ele. Que DEUS envie sobre nós, nestes dias, um poderoso reavivamento!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Wellington & Silvia Costa

Wellington & Silvia Costa

Total de visualizações de página